segunda-feira, 29 de maio de 2017

OS LOUCOS - 17

.

Clique nas imagens para AMPLIAR

Ficha Técnica:

Personagem Principal:
Os Loucos
Texto e Arte:
André Maurício Marcon (Dom André).
Layout:
Tira em quadrinhos.
Aparições:
- Maria Tetuda e um bêbado.
Produção:
- Junho de 1993 (original);
- 06/03/1995 (redesenhada para arquivo);
- 10/05/1998 (jornal).
Publicação Original:
Imprensa Regional, Ano I, Nº 40, 16/05/1998.
Código:
#326

Comentários do Autor:

1 – Tirinha 5 de 12. Maria Tetuda continua peladona tomando seu banho de sol quando um bêbado se depara com a cena e julga ser aquilo uma alucinação causada pelo excesso de álcool. Ao fundo da cena vemos que o mar não está propício à navegação já que as águas estão infestadas de tubarões!

2 – A partir desta tira, na adaptação para o jornal, a minha assinatura apresenta a data de produção completa da tirinha, expediente esse que uso até hoje em meus desenhos e quadrinhos.

.

sexta-feira, 26 de maio de 2017

OS LOUCOS - 16

.

Clique nas imagens para AMPLIAR

Ficha Técnica:

Personagem Principal:
Os Loucos
Texto e Arte:
André Maurício Marcon (Dom André).
Layout:
Tira em quadrinhos.
Aparições:
- Zé da Cachaça e um barman.
Produção:
- Junho de 1993 (original);
- 06/03/1995 (redesenhada para arquivo);
- Maio de 1998 (jornal).
Publicação Original:
Imprensa Regional, Ano I, Nº 39, 09/05/1998.
Código:
#325

Comentários do Autor:

1 – Tirinha 4 de 12. Após o mal-entendido da tira anterior, Zé da Cachaça muda seu pedido, mas novamente o barman escroto o leva ao pé da letra. Sim, esta é basicamente a mesma piada infame. Prometo que a coisa para por aqui.

2 – Em ambas as versões desta tira o Zé da Cachaça mais uma vez ostenta seis dedos na mão esquerda como visto anteriormente na tirinha #089 (veja AQUI). E exatamente no primeiro quadrinho, tal qual ocorreu nessa tira. Isto deve ter algum significado oculto ou então apenas mostra que eu sou um desenhista de merda, hipótese mais provável.

.

terça-feira, 23 de maio de 2017

CITAÇÕES - 439

.

Epiteto

“Primeiro diga a si mesmo o que gostaria de ser e depois o que você precisa fazer.”
Epiteto
(55-135)
Filósofo grego, no livro “Histórias para aquecer o coração dos adolescentes” (Sextante).

* * *

“Se não tivéssemos defeitos, não nos agradaria tanto notá-los nos outros.”
Anônimo.

* * *

“Todos nós queremos fazer o melhor. Mas, se não fizemos o bem, o melhor não será o bastante.”
Anna Quindlen
(1953-)
Escritora e jornalista americana, no livro “Para uma Vida Feliz” (Bertrand Brasil).

* * *

“Árvores de raízes mais fundas são sempre as que sobem mais alto.”
Frédéric Mistral
(1830-1914)
Escritor francês.

* * *

“No caráter, na conduta, no estilo, em todas as coisas, a simplicidade é a suprema virtude.”
Henry Wadsworth Longfellow
(1807-1882)
Poeta Americano.

* * *

“Para navegar contra a corrente são necessárias condições raras: espírito de aventura, coragem, perseverança e paixão. Se você não tem virtude, assuma alguma.”
William Shakespeare
(1564-1616)
Poeta e dramaturgo inglês.

* * *

“Somos a memória que temos e a responsabilidade que assumimos.”
José Saramago
(1922-2010)
Escritor português, ganhador do Prêmio Nobel de 1998.

* * *

“Nem todos podem tirar um curso superior. Mas todos podem ter respeito, alta escala de valores e as qualidades de espírito que são a verdadeira riqueza de qualquer pessoa.”
Alfred Montapert
(1906-1977)
Escritor francês.

* * *

“O que falta na religião, é a obrigação de nos considerarmos a nós próprios como fonte de valores.”
Friedrich Nietzsche
(1844-1900)
Filósofo alemão.

* * *

“Os valores morais não podem deixar de ser valores aparentes, em confronto com os valores psicológicos.”
Friedrich Nietzsche
(1844-1900)
Filósofo alemão.

* * *

“A mentira tem vida curta, mas a verdade dura para sempre.”
Provérbios 12:19.

* * *

“Quando em dúvida, diga a verdade.”
Mark Twain
(1835-1910)
Escritor americano, pseudônimo de Samuel Langhorne Clemens.

* * *

“A busca da verdade faz parte da natureza humana.”
Nicolau Copérnico
(1473-1543)
Astrônomo e matemático polonês.

* * *

“A contradição não é sinal de falsidade, nem a falta de contradição, sinal de verdade.”
Blaise Pascal
(1623-1662)
Matemático e filósofo francês.

* * *

“A maior parte de nossas falhas é mais perdoável do que os meios que usamos para disfarçá-las.”
François de La Rochefoucauld
(1613-1680)
Moralista francês.

* * *

“A verdade é aquilo que se impõe à revelia do sujeito. Aquilo que apenas é e não se chega a escolher.”
Clarice Lispector
(1920-1977)
Escritora brasileira nascida na Ucrânia.

* * *

“A verdade é como o sol. Permite-nos ver tudo, mas não olhar para ela.”
Victor Hugo
(1802-1885)
Escritor francês.

* * *

“A verdade é mais escandalosa do que a ficção porque esta tem de fazer sentido.”
Will Ferguson
(1964-)
Escritor canadense.

.

segunda-feira, 22 de maio de 2017

OS LOUCOS - 15

.

Clique nas imagens para AMPLIAR

Ficha Técnica:

Personagem Principal:
Os Loucos
Texto e Arte:
André Maurício Marcon (Dom André).
Layout:
Tira em quadrinhos.
Aparições:
- Zé da Cachaça e um barman.
Produção:
- Junho de 1993 (original);
- 06/03/1995 (redesenhada para arquivo);
- Abril de 1998 (jornal).
Publicação Original:
Imprensa Regional, Ano I, Nº 38, 02/05/1998.
Código:
#324

Comentários do Autor:

1 – Tirinha 3 de 12. Se nas HQs d’Os Loucos as bebedeiras do Zé da Cachaça eram uma constante, o mesmo não se pode dizer desta série de tiras: salvo engano esta é a única tirinha onde o Zé da Cachaça procura por aquilo que o caracteriza a ponto de fazer parte de seu nome. Porém ele não esperava encontrar pelo caminho um barman escroto que leva tudo ao pé da letra!

2 – Aqui eu repito uma piada gráfica que utilizei na minissérie da Joyce Pultura na praia: a do tubarão atacando uma canoa desavisada no mar. Por algum motivo eu vejo graça nesse tipo de coisa e sempre que aparece uma oportunidade trato de inseri-la nas cenas com o mar ao fundo.

3 – Por falar em Joyce Pultura na praia, diferente do que fiz naquela minissérie, nesta eu tive a decência de colocar tripulantes nas canoas que singram o mar. No primeiro caso, as embarcações aparecem sem ninguém a bordo dando um ar fantasmagórico à coisa.

.

sexta-feira, 19 de maio de 2017

OS LOUCOS - 14

.

Clique nas imagens para AMPLIAR

Ficha Técnica:

Personagem Principal:
Os Loucos
Texto e Arte:
André Maurício Marcon (Dom André).
Layout:
Tira em quadrinhos.
Aparições:
- Zé da Cachaça e Maria Tetuda.
Produção:
- Junho de 1993 (original);
- 06/03/1995 (redesenhada para arquivo);
- Abril de 1998 (jornal).
Publicação Original:
Imprensa Regional, Ano I, Nº 37, 25/04/1998.
Código:
#323

Comentários do Autor:

1 – Tirinha 2 de 12. Zé da Cachaça topa com sua esposa peladona tomando banho de sol e descobre da pior maneira que menospreza-la durante as intermináveis brigas conjugais movidas pelas bebedeiras do protagonista não é uma boa ideia.

2 – Para quem é chegado numa MILF, eis um belo fanservice como se diz a respeito daquelas cenas dos mangás onde alguma personagem feminina exibe seus encantos naturais voluntária ou involuntariamente. É interessante notar que nesta série eu não me vali do mesmo pudor que usei nas outras duas séries que publiquei paralelamente a esta no jornal. Tanto que diferente da versão original desta tira, na adaptação Maria Tetuda mostra até mais o corpo como se pode ver no nu frontal do segundo quadrinho.

3 – Aqui o internauta pode notar que Maria Tetuda não possui seios avantajados que justifiquem seu sobrenome, ou melhor, prenome já que ela acrescentou o sobrenome do Zé da Cachaça quando se casou com ele. Isso porque quando criei os Loucos, aos 10 anos de idade, eu quis apenas dota-los de nomes esdrúxulos que então considerava engraçados.

.

terça-feira, 16 de maio de 2017

CITAÇÕES - 438

.

Henry Clapp, Jr.

“Só trabalho nas minhas horas de lazer.”
Henry Clapp, Jr.
(1814-1875)
Editor, jornalista, poeta e tradutor americano.

* * *

“Quando era jovem descobri que nove de cada dez coisas que eu fazia eram um fracasso. Eu não queria ser um fracasso. Então passei a trabalhar dez vezes mais.”
George Bernard Shaw
(1856-1950)
Dramaturgo e escritor irlandês.

* * *

“Trabalhamos com o propósito de tornar nossos produtos obsoletos, antes que nossos concorrentes o façam.”
Bill Gates
(1955-)
Empresário americano, fundador da Microsoft, nascido William Henry Gates III.

* * *

“A generosidade é a flor da justiça.”
Nathaniel Hawthorne
(1804-1864)
Escritor americano.

* * *

“A verdadeira humildade consiste em estar satisfeito.”
Henri-Frédéric Amiel
(1821-1881)
Filósofo, poeta e crítico suíço.

* * *

“Afeto é o mais generoso princípio do que é bom na vida.”
George Eliot
(1819-1880)
Escritora inglesa, pseudônimo de Mary Ann Evans.

* * *

“As coisas pequenas, se colocadas juntas, são maiores do que as grandes.”
Henri Barbusse
(1873-1975)
Poeta e escritor francês.

* * *

“As verdadeiras colunas da sociedade são a liberdade e a verdade.”
Henrik Ibsen
(1828-1906)
Dramaturgo norueguês.

* * *

“Coragem não é apenas uma das virtudes, mas o teste extremo de cada virtude.”
Clive Staples Lewis
(1898-1963)
Escritor inglês.

* * *

“Humanidade consiste em jamais sacrificar um ser humano por um objetivo.”
Albert Schweitzer
(1875-1965)
Médico alemão nascido na Alsácia, ganhador do Prêmio Nobel da Paz em 1952.

* * *

“Mais do que a paisagem, a casa é um estado de espírito.”
Gaston Bachelard
(1884-1962)
Filósofo e poeta francês.

* * *

“Não perca tempo argumentando sobre o que é um homem bom. Seja um.”
Marco Aurélio Antonino
(121-180)
Imperador e filósofo romano.

* * *

“Não pode ser que, na seleção natural, vença sempre o mais forte. Sobrevive o mais ajustado, o que mais harmoniza, que mais ressonância tem com a sinfonia da natureza.”
José Lutzenberger
(1926-2002)
Agrônomo, escritor, filósofo, paisagista e ambientalista brasileiro.

* * *

“O fim não justifica os meios – jamais – nem que pareça para o bem.”
Anna Veronica Mautner
(1935-)
Psicanalista brasileira de origem húngara.

* * *

“O humanismo não é nossa religião. É a nossa razão de viver.”
Otto Maria Carpeaux
(1900-1978)
Ensaísta, crítico literário, crítico de arte, crítico de música e jornalista austríaco naturalizado brasileiro, nascido Otto Karpfen.

* * *

“O ideal deve, como a árvore, ter suas raízes na terra.”
August von Platen-Hallermünde
(1796-1835)
Poeta alemão.

* * *

“O propósito da vida é uma vida de propósitos.”
Robert Byrne
(1930-2016)
Escritor e campeão de bilhar americano.

.

segunda-feira, 15 de maio de 2017

OS LOUCOS - 13

.

Clique nas imagens para AMPLIAR

Ficha Técnica:

Personagem Principal:
Os Loucos
Texto e Arte:
André Maurício Marcon (Dom André).
Layout:
Tira em quadrinhos.
Aparições:
- Zé da Cachaça, Maria Tetuda e alguns banhistas.
Produção:
- Junho de 1993 (original);
- 06/03/1995 (redesenhada para arquivo);
- Abril de 1998 (jornal).
Publicação Original:
Imprensa Regional, Ano I, Nº 36, 18/04/1998.
Código:
#322

Comentários do Autor:

1 – Tirinha 1 de 12. Aqui começa uma nova minissérie, agora apresentando as aventuras da família Louco no Rio de Janeiro, ou melhor, num pastiche do que seria a cidade maravilhosa uma vez que eu não me dispus a mostrar em detalhes pontos turísticos daquele lugar, limitando-me a cenários genéricos. Logo na entrada Maria Tetuda mostra ao Zé da Cachaça o motivo de preferir o Rio ao invés de Santos.

2 – Na adaptação para o jornal eu nem me dignei a vestir a moça jogando bola ao fundo do primeiro quadrinho. Como não se trata de uma praia de nudismo, eu coloquei um biquíni na pobrezinha na presente restauração desta tira.

3 – Algo que notei ao restaurar estas tiras foi o total desleixo com que as desenhei em ambas as versões. Não sei se foi por pressa ou outra razão, mas a arte desta minissérie está muito aquém do aceitável. Como os originais das mesmas são consideravelmente menores que estas cópias digitalizadas, as deficiências do traço podem até passar despercebidas, mas aqui todas elas estão indisfarçavelmente evidentes e a colorização não ajudou a atenuá-las nem um pouco.

.

sexta-feira, 12 de maio de 2017

OS LOUCOS - 12

.

Clique nas imagens para AMPLIAR

Ficha Técnica:

Personagem Principal:
Os Loucos
Texto e Arte:
André Maurício Marcon (Dom André).
Layout:
Tira em quadrinhos.
Aparições:
- Zé da Cachaça e Maria Tetuda.
Produção:
- Março de 1993 (original);
- 12/01/1995 (redesenhada para arquivo);
- Março de 1998 (jornal).
Publicação Original:
Imprensa Regional, Ano I, Nº 35, 11/04/1998.
Código:
#094

Comentários do Autor:

1 – Tirinha 12 de 12. Chegamos ao fim desta minissérie com as desventuras de Zé da Cachaça tentando emplacar seu “novo” visual hippie. Após a sucessão de micos pelas quais passou o protagonista enfim caiu na real e deixou as vestes extravagantes de lado para adotar um modelo mais discreto. Aliás, discretíssimo uma vez que agora ele não tem coragem nem de mostrar o rosto na rua!

2 – Terminada esta minissérie, na sequência começará outra com o mesmo número de tiras e desta vez contará com a participação efetiva de toda família Louco aprontando das suas no Rio de Janeiro! Estará a cidade maravilhosa preparada para encarar essa zoeira? Descubra a partir da segunda-feira que vem! Até lá!

.

terça-feira, 9 de maio de 2017

CITAÇÕES - 437

.

Timothy Leary

“Sua juventude pode ser medida pela última vez em que você mudou de opinião.”
Timothy Leary
(1920-1996)
Psicólogo e escritor americano.

* * *

“Todas as idades dão os seus frutos. É preciso saber colhê-los.”
Raymond Radiguet
(1903-1923)
Escritor francês.

* * *

“Viver por viver não quer dizer nada. É preciso estar vivo na produção de alguma coisa.”
Herbert de Souza, o Betinho
(1935-1997)
Sociólogo brasileiro.

* * *

“Dentro de cada pessoa mais velha convive outra mais jovem, perguntando que diabo aconteceu.”
Cora Harvey Armstrong
(?)
Cantora gospel americana.

* * *

“Envelhecer é uma coisa que vai acontecer com você se você tiver sorte.”
Carlos Eduardo Fonseca
(?)
Odontólogo brasileiro.

* * *

“A eleição mais importante é a da urna interior, a consciência do trabalho bem-feito.”
Moacyr Scliar
(1937-2011)
Médico e escritor brasileiro.

* * *

“É admirável o quanto pode ser feito, se não paramos de fazer.”
Thomas Jefferson
(1743-1826)
Estadista americano, 3º Presidente dos Estados Unidos (1801-1809).

* * *

“Mais homens tornam-se bons pela prática do que pela natureza.”
Demócrito
(c. 460-370 a.C.)
Filósofo grego.

* * *

“Não se trata de trabalho verdadeiro se você gostaria mais de estar fazendo outra coisa.”
James Barrie
(1860-1937)
Escritor inglês.

* * *

“Nenhuma tarefa, bem realizada, é efetivamente privada. É parte do trabalho do mundo.”
Woodrow Wilson
(1856-1924)
Político e acadêmico americano, 28º Presidente dos Estados Unidos (1913-1921).

* * *

“Sem trabalho o talento é apenas um fogo de artifício; ofusca por um instante, mas não deixa nada.”
Roger Martin du Gard
(1881-1958)
Escritor francês.

* * *

“Trabalho é antídoto para o crime; e a ética do trabalho, o mais eficaz recurso para cimentar uma comunidade.”
Alberto Dines
(1932-)
Jornalista, professor universitário, biógrafo e escritor brasileiro.

* * *

“Tu és o arquiteto de teu próprio destino. Trabalha, espera e ousa.”
Ella Wheeler Wilcox
(1850-1919)
Escritora e poetisa americana. 

* * *

“Um homem não é ocioso por estar absorto em pensamentos. Existem dois tipos de trabalho: o visível e o invisível.”
Victor Hugo
(1802-1885)
Escritor francês. 

* * *

“Uma pessoa só cumpre seu mais nobre dever quando tenta aperfeiçoar os dotes que a natureza lhe deu.”
Hermann Hesse
(1877-1962)
Escritor alemão naturalizado suíço.

* * *

“É impossível desfrutar completamente a preguiça, a menos que se tenha muito o que fazer.”
Jerome K. Jerome
(1859-1927)
Escritor e humorista inglês.

* * *

“Os pequenos atos que se executam, são melhores do que todos os grandes que apenas se planejam.”
George Marshall
(1880-1959)
General americano, Nobel da Paz em 1953.

.

segunda-feira, 8 de maio de 2017

OS LOUCOS - 11

.

Clique nas imagens para AMPLIAR

Ficha Técnica:

Personagem Principal:
Os Loucos
Texto e Arte:
André Maurício Marcon (Dom André).
Layout:
Tira em quadrinhos.
Aparições:
- Zé da Cachaça e Maria Tetuda.
Produção:
- Março de 1993 (original);
- 12/01/1995 (redesenhada para arquivo);
- Março de 1998 (jornal).
Publicação Original:
Imprensa Regional, Ano I, Nº 34, 04/04/1998.
Código:
#093

Comentários do Autor:

1 – Tirinha 11 de 12. Depois de um dia cheio, Zé da Cachaça retorna ao lar. Sem dar o braço a torcer, diz para a esposa ter ele feito sucesso com seu novo visual, mas uma surpresinha em suas costas denuncia o contrário.

2 – Na adaptação para o jornal eu mudei a palavra escrita no papel colado nas costas do Zé por achar “Bobão” um xingamento muito... Bobo! “Bocó” ficou mais engraçado, acho eu. Outro detalhe que mudei nesse mesmo quadrinho foi o balão de diálogo de Maria: ao ouvir Zé falando e reparar no papel colado nas costas dele, ela diz em voz alta o que na versão original ela apenas pensa.

3 – Na presente restauração destas tirinhas eu incluí um detalhe que originalmente não existe em nenhuma delas: aproveitando o espaço em branco do quadro na parede do último quadrinho eu coloquei uma foto que os (dois) leitores deste blog veem toda vez que o acessa: a vista aérea da cidade que ilustra o cabeçalho com o nome do blog que por um acaso é a cidade onde eu moro.

.

sexta-feira, 5 de maio de 2017

OS LOUCOS - 10

.

Clique nas imagens para AMPLIAR

Ficha Técnica:

Personagem Principal:
Os Loucos
Texto e Arte:
André Maurício Marcon (Dom André).
Layout:
Tira em quadrinhos.
Aparições:
- Zé da Cachaça e um homem.
Produção:
- Março de 1993 (original);
- 11/01/1995 (redesenhada para arquivo);
- Março de 1998 (jornal).
Publicação Original:
Imprensa Regional, Ano I, Nº 33, 28/03/1998.
Código:
#092

Comentários do Autor:

1 – Tirinha 10 de 12. Após ser alvo de piadinhas diversas, alguém resolve ser mais incisivo e aqui Zé da Cachaça leva um chocalhão para deixar de ser besta, mas a vontade de ser hippie do protagonista é maior que a vergonha de sair na rua usando essa roupa ridícula. Porém esta minissérie caminha para seu final e saberemos se este “toque” surtirá algum efeito ou não.

.

terça-feira, 2 de maio de 2017

CITAÇÕES - 436

.

Victor Hugo

“A vida já é curta, mas nós tornamo-la ainda mais curta, desperdiçando tempo.”
Victor Hugo
(1802-1885)
Escritor francês.

* * *

“Aqueles que gastam mal o seu tempo são os primeiros a queixar-se da sua brevidade.”
Jean de La Bruyère
(1645-1696)
Moralista francês.

* * *

“Sobre as asas do tempo, a tristeza vai-se embora.”
Jean de La Fontaine
(1621-1695)
Poeta e fabulista francês.

* * *

“Agora sei a metade das coisas que julgava saber aos 18 anos.”
Pablo Picasso
(1881-1973)
Pintor e escultor espanhol.

* * *

“Hoje não faço mais televisão porque não tem papel para bisavô e, para avô, já passei da idade.”
Mário Lago
(1911-2002)
Advogado, poeta, radialista, compositor e ator brasileiro.

* * *

“Idoso não, velho sim. Porque a palavra velho traz embutida um monte de carinho.”
Anônimo.

* * *

“Meia-idade é quando se começa a trocar emoções por sintomas.”
Irvin Cobb
(1876-1944)
Escritor americano.

* * *

“O entusiasmo é o pão diário da juventude. O ceticismo, o vinho da velhice.”
Pearl S. Buck
(1892-1973)
Escritora americana.

* * *

“Só se fica velho se a gente aposenta o cérebro e o coração.”
Sérgio Pilla Grossi
(?)
Médico pediatra brasileiro.

* * *

“A alma não envelhece.”
Adélia Prado
(1935-)
Escritora brasileira.

* * *

“Envelhecer é cansar-se de si.”
Mário da Silva Brito
(?)
Poeta e ensaísta brasileiro.

* * *

“Envelhecer não passa de um mau hábito que uma pessoa ocupada não tem tempo de adotar.”
André Maurois
(1885-1967)
Escritor francês.

* * *

“Não é tão mau assim ter 70 anos, quando se considera a alternativa.”
Maurice Chevalier
(1888-1972)
Cantor e comediante francês.

* * *

“O coração não tem rugas.”
Marquesa de Sévigné
(1626-1696)
Nobre e escritora francesa, nascida Maria de Rabutin-Chantal.

* * *

“O lado grandioso de envelhecer está em não perdermos todas as outras idades em que vivemos.”
Madeleine L’Engle
(1918-2007)
Escritora americana.

* * *

“Oh, o que eu não daria para ter 70 anos outra vez.”
Oliver Wendell Holmes, Jr.
(1841-1935)
Jurista americano, quando tinha 92 anos, ao ver uma mulher bonita.

* * *

“Onde estão presentes os mais velhos, ali está a vontade de Deus.”
Tradição dos Adivasi, povo indiano.

* * *

“Se rugas têm de ser escritas na testa, não permita que se inscrevam no coração. O espírito jamais deve envelhecer.”
James Abram Garfield
(1831-1881)
Advogado, professor e político americano, 20º Presidente dos EUA (04/03/1881-19/09/1881).

.